29 de outubro de 2012

no sofá com a Marie

Sua vida não é lá muito oscilante, entre a almofada no sofá e o chão é um pulo; dois se estiver cansada e precisar diminuir as distâncias com menos esforço. Mulher de cabeça feita, apesar da pouca idade, sabe que fazer manha é o modo mais eficaz de conseguir o que quer. E não tem quem resista àquele olhar penetrante que cintila na profundidade de suas pupilas azuis. Tem quem tente entendê-la, descobrir por qual motivo ela vai para lá e não para cá, e por que é tão difícil agradá-la quando o assunto é carinhos, pois ela não gosta de recebê-los. Não sempre. Só quando lhe dá na telha. E como adivinhar quando seu temperamento está sentimental a ponto de se deixar colocar no colo sem que o resultado seja uma profusão de pequenos arranhões? Todos marcas de amor, claro, ainda assim... Ainda assim todos meio temem meio desejam por sua inconsistência. Afinal ela é uma mulher e que graça teria conviver com ela se fosse somente mais uma personalidade de fácil agrado? Além da graça, esta sim constante, em ouvir seu ronronado. 





Um comentário:

  1. Que lindeza de texto e felina, guria!
    Já sou fascinada por bichanos, com uma descrição dessas dá pra amar Marie facilmente.
    Adorei a forma como descreveu ela, soou encantadoramente, e sua escrita é ótima, gostaria de escrever assim, meus textos parecem escritos por uma criança. '>.< hehe

    Seu blog é lindo, voltarei mais vezes!
    Abraço! ;]

    ResponderExcluir