Sobre mim


No cartório me nomearam como Jéssica, mas quase ninguém me chama pelo meu nome, tenho inúmeros apelidos e até meu professor de faculdade deu para me chamar de Janaína por engano. Sou fanática por livros desde pequenininha (continuo pequena com meus 1,55 de altura) e ler Agatha Christie me fez pensar que poderia ser escritora. Culpem a ela por minhas tentativas. 

Nasci em uma cidade do Rio Grande do Sul cuja maior diversão é dar voltas na praça de alimentação do único shopping da cidade. Mas o importante é ter saúde. Rio de qualquer coisa, e quando escrevo isso digo a mais pura verdade, uma vez que já chorei rindo de um pacote de bolacha sendo levado pelo vento. Por ser assim sempre digo para as pessoas não me levarem a sério, e sim me levarem para comer algo. Sem carne por favor, pois sou vegetariana. 

Gosto de tudo quanto é velharia, não somente livros de páginas amareladas, também objetos que não apenas o tempo, mas também os cupins já levaram. Sou fanática por Beatles, especialmente pelo John Lennon que é a maior fonte de inspiração da minha vida (outro que vocês podem culpar pelo meu pedantismo literário). Tive a sorte de assistir ao show do Paul McCartney de pertinho no estádio Beira-Rio em 2010, no mesmo dia em que bati o recorde de finalizar uma prova do Enem em menos tempo: cerca de três minutos, todas as questões marcadas no gordinho “B”.

Falando em estádios, sou apaixonada por esportes. Comecei gostando de vôlei nas Olímpiadas de 2004, hoje tento acompanhar a maioria das modalidades que posso e não realizar nenhuma por puro sedentarismo. E o esporte é um dos motivos que me incentivou a escolher Jornalismo para cursar na faculdade, mesmo com toda polêmica do diploma e com os baixos salários. Estou estagiando na área de televisão, fazendo reportagens para um programa chamado Prédio 11, apoiado febrilmente pela minha avó e demais parentes entusiastas de que um dia eu vire a próxima Fátima Bernardes. Ao menos eram, antes dela decidir fazer um Casos de Família de luxo.